# GIRLBOSS

# GIRLBOSS da Shphia Amoruso foi um livro surpreendente! Eu já conhecia a Nasty Gal, mas foi por acaso que achei uma prévia no livro no Google Books e comecei a ler sem pretensão, acontece que a história de Sophia é tão surpreendente e cheia de reviravoltas que quando a prévia chegou ao fim eu fiquei meio desesperada para saber como a garota que catava lixo e fazia furtos eventuais construiu o império Nasty Gal.

# GIRLBOSS chegou, eu recomecei a ler desde o início e fiquei completamente obcecada por Sophia.

Você pode nunca ter ouvido falar em Sophia Amoruso, mas se gosta de moda e internet deve ter ouvido falar no e-commerce Nasty Gal. Bom, Sophia é a criadora e ex-CEO da Nasty Gal. Tudo começou com uma loja de peças vintage no e-Bay e acabou se tornando uma grande marca, mas antes disso Sophia passou por algumas aventuras que mostram que o caminho do sucesso pode ser inesperado. A Nasty Gal deixou as peças vintage para trás para produzir suas próprias coleções e representar as marcas mais cool do mercado.

Apesar de algumas escolhas erradas, Sophia deu a volta por cima, se entregou de alma ao negócio, confiou em seu instinto e persistiu com suas ideias mesmo que outras pessoas dissessem que pareciam loucuras!

#GIRLBOSS nasty galaxy book sophia amoruso nasty gal nasty galaxy livro Nasty Galaxy novo livro de Sophia Amoruso

Hoje Sophia se dedica a produção executiva de sua série na Netflix junto com Charlize Theron e a roteirista Kay Cannon. O plano é transformar a autobiografia em uma comédia. Estou curiosa para assistir!
Outro projeto é o livro Nasty Galaxy que chega as livrarias em outubro, mas você pode fazer sua pré-encomenda na Amazon. Segundo Sophia, esse segundo livro é mais sobre estilo de vida e totalmente visual, mas ainda sim não é um livro de mesa de centro. “É um livro engraçado com conselhos práticos, algumas das minhas filosofias, as mulheres impressionantes para conhecer e aprender com elas.” contou Sophia ao site Refinery29.

# GIRLBOSS saiu dos papeis e se tornou uma fundação que promove e fomenta o empreendedorismo para garotas na área de design, moda, música e artes. Através de seu livro Sophia têm sido uma mentora para garotas de todo o mundo, por isso separei algumas citações de # GIRLBOSS para compartilhar aqui!

GIRLBOSS em citações

Leia Mais

APROPRIAÇÃO CULTURAL NA MODA

APROPRIAÇÃO CULTURAL: O QUE É?

Muito tem se falado sobre a apropriação cultural no meio da moda, mas o que de fato é isso?
Segundo a Wikipedia a apropriação cultural é:

Apropriação cultural é a adoção de alguns elementos específicos de uma cultura por um grupo cultural diferente. Ela descreve aculturação ou assimilação, mas pode implicar uma visão negativa em relação a aculturação de uma cultura minoritária por uma cultura dominante. Ela pode incluir a introdução de formas de vestir ou adorno pessoal, música e arte, religião, língua, ou comportamento social. Estes elementos, uma vez removidos de seus contextos culturais indígenas, podem assumir significados que são significativamente divergentes, ou simplesmente menos sutis do que, aqueles que originalmente realizados.

Apropriação prática envolve a ‘apropriação’ de ideias, símbolos, artefatos, imagem, som, objetos, formas ou estilos de outras culturas, da história da arte, da cultura popular ou outros aspectos do humano feito visual ou a cultura não visual. Os antropólogos têm estudado o processo de apropriação cultural, ou empréstimo cultural (que inclui arte e urbanismo), como parte da mudança cultural e o contato entre diferentes culturas.

Em resumo, a apropriação cultural acontece quando uma cultura dominante, geralmente ocidental, desloca símbolos culturais de outra cultura, geralmente oriental, para um contexto onde ele adquire outro valor, na maioria dos casos ele adquire apenas valor estético. É uma re-significação elementos identitários, sem considerar sua historicidade.

Ou seja, apropriação cultural é quando se utiliza símbolos culturais, religiosos ou de resistência de uma outra cultura só porque é cool.

Muitas vezes o objeto da apropriação é visto como cool no novo contexto onde foi inserida, mas marginalizada na cultura original e esse é um dos grandes problemas da apropriação.
Um exemplo disso é quando um jovem negro usa dreadslocks, a sociedade fora do contexto cultural negro o estereotipa como, por exemplo, maconheiro e sujo, mas quando um jovem branco usa dreadslocks ele é estereotipado como hippie, cool, maneiro.
Outro exemplo é o uso de barba: por que é cool quando adotadas por hipsters e vista como um simbolo de terrorismo quando usada por homens do oriente médio?

Alguns defendem que a apropriação cultural não existe, pois a globalização tem permitido as trocas entre os povos e culturas e esse intercâmbio têm criado uma nova cultura global. Também há aqueles que consideram que a cultura pertence a humanidade em um contexto geral e por isso não pode “apropriada” já que a cultura é de todos.


APROPRIAÇÃO CULTURAL NA MODA

Apropriação cultural as vezes é chamada de referência ou inspiração e isso não acontece só na moda, e sim em ~ quase ~ todos os processos criativos: ”As apropriações, das mais diversas naturezas, são constantemente flagradas nos documentos do artista e são matéria-prima de muitos (ou talvez de todos) processos criadores” afirmou Cecília Salles em  Redes da criação: Construção da obra de arte.

Quando a moda se inspira em temáticas orientais, ela geralmente a utiliza como exótico e até mesmo primitivo. A faz pelo simples prazer estético, ignorando a importância dos símbolos apropriados para aquela cultura.

apropriação cultural moda vogue re-significação elementos identitáriosRevista Vogue Novembro 2015 –  Dreads na capa só se for em modelo loira, magra de olho azul?

A problemática da apropriação cultural na moda não para por aí! Melody Brasil Erler von Erlea em “Uso do imaginário cultural negro e apropriação cultural na moda ocidental” mostra como a apropriação da cultura afro atinge vários níveis de problemas, ela se pergunta “a que ponto uma indústria feita pela civilização exploradora pode se inspirar e se basear na cultura explorada?

Tufi Duek Outono/Inverno 2014: “O tribal com sabor africano daTufi Duek desse outono-inverno 2014 é riquíssimo em textura”, mas faltou modelos negras!

Um exemplo clássico de apropriação cultura é o uso de turbantes como adereço fashion.
Sim, os turbantes foram presentes na maioria das sociedades orientais antigas e ainda é muito presente no Oriente. Seu uso ganhou diversos significados, mas sendo o Brasil um onde os turbantes chegaram pelas mãos negras não dá para negar o significado religioso que eles possuem.

apropriação cultural moda revista vogue fevereiro de 2003Editorial “Carmem Miranda Reloaded” da edição Fevereiro 2013 da revista Vogue

Carmem Miranda se apropriou da estética da cultura negra e fez sucesso em cima de seu estilo. Esse editorial traz elementos identitários da cultura negra e parece que Carmem Miranda foi apenas um personagem para ganhar os créditos.


Ainda na dúvida sobre o que é Apropriação Cultural?

UM GUIA DE BOLSO SOBRE O QUE É E O QUE NÃO É APROPRIAÇÃO CULTURAL

TEXTO ORIGINAL EM INGLÊS | TRADUÇÃOguia de bolso sobre o que é apropriação cultural e o que não é


Meu objetivo não é dizer o que está certo e o que está errado, mas sensibilizar sobre o tema. Se você se interessou pelo tema confira abaixo outros textos com perspectivas diversas sobre o tema:

LEIA MAIS: 10 LINKS SOBRE APROPRIAÇÃO CULTURAL

 

Leia Mais

MODA | ROSE QUARTZ: A COR DE 2016

A Pantone™ lançou esse mês a sua cartela-tendência de cores para 2016 durante a semana de moda de N.Y., segundo Leatrice Eiseman, o diretor executivo da Pantone™ “A cartela dessa temporada nos leva para um lugar mais feliz e ensolarado onde nos sentimos livres para expressar uma versão mais espirituosa do nosso verdadeiro eu”. 

A cor do ano de 2016 será um tom de rosa, o Rose Quartz!

rose-quartz-pantone 2016

Os tons de rosa se destacaram nas edições de setembro da Vogue

Ainda segundo Eiseman o tom Rose Quartz que lidera a cartela é “um tom persuasivo, mas suave que transmite compaixão e um senso de compostura. Como um pôr do sol sereno, bochecha vermelha ou brotamento da flor, Rose Quartz lembra-nos a refletir sobre o nosso meio, durante os meses abafados, mas alegres de Primavera e Verão”

rose-quartz pantone 2016

Vai apostar no rosa? Fique ligado aqui no blog que vamos postar pranchas de inspiração como essa aí de cima para cada tom da cartela Pantone™! 

Não deixa de seguir nas redes sociais!

Leia Mais