PEQUENAS VITÓRIAS DA VIDA NORMAL

As vezes nós olhamos para outras pessoas e pensamos “nossa, tão inteligente, tão interessante, a vida deve ser fantástica”, né? Aí eu olho para mim mesma e penso “uma vida fantástica é feita de pequenas vitórias!”. Tudo que eu tenho feito é tão normal, mas consegui contabilizar algumas vitórias!

Pequenas vitórias da vida normal!

Finalmente terminei de assistir a 5ª temporada de GIRLS, vitória! Melhor momento: Shoshanna no Japão

Comprei uma calça de sarja de uma confecção local com cintura alta por apenas R$60, considerei uma vitória, já que algumas lojas consideram R$189,00 um preço justo.

pequenas vitórias da vida normal pavê de frappuccino starbucks trifle caramel caramelo chantilly café coffee

Eu também fiz o Pavê de Frappuccino, um pavê inspirado no Frappuccino de Caramelo da Starbucks, ficou muito bom! Como não tenho batedeira e não tenho habilidade para bater um chantilly na mão, desenvolvi uma técnica de bater o chantilly com um mixer! Mais uma vitória.

Consegui uma bolsa ótima na faculdade! Grande vitória!

Finalmente assisti ao documentário “Tarja Branca” da Maria Farinha Filmes, aquela mesma que fez “Muito Além do Peso” e “Criança a Alma do Negócio”. Desde o lançamento eu queria muito assistir, mas só agora tive oportunidade. Esse é um filme que todos devem assistir, pois nos faz pensar sobre as relações das crianças com o mundo, com o brincar, também a relação do adulto com a sua criança interior que é anulada pela sociedade. Vitória nº 6!

Minha amiga Helena do Garotas Rosa Choque Blog foi uma fada madrinha e me convidou para conhecer o Chef Erick Jacquin na coletiva de imprensa do evento do Independência Shopping. Ele foi muito simpático e atencioso, percebeu minha expressão de desespero e me convidou para experimentar o famoso tartar. Mais uma grande vitória!

Também foi meu aniversário. Não teve nenhuma grande comemoração, estava com os ânimos exaltados por conta de uma tensão pré-menstrual combinada com uma sinusite que destruiu qualquer vestígio de bom humor. Depois que isso passou eu consegui refletir sobre os 28 anos completados: me senti agradecida por ter chegado nessa idade tendo a consciência e preocupação de querer melhorar como pessoa; agradeci também por ser alguém que não sai distribuindo problemas para os outros, que conhece seus limites e tem os pés no chão. Nesse mundo onde é mais fácil ser uma pessoa alienada, isso é de fato uma vitória.

Recebi uma doação de Kombucha Tea para fazer o meu próprio e está dando muito certo! Em poucos dias começo a fazer a segunda fermentação e estou bem animada: vitória! Me sinto muito hippie fazendo isso.

Comecei hoje a produzir o Levain, um fermento natural para fazer pão caseiro. Quem me conhece bem sabe que eu adoro cozinhar e que quanto mais difícil a receita maior é a satisfação em reproduzir. Por isso poder fazer um pão caseiro com fermento natural feito por mim mesma é com certeza uma vitória!

Também comi uma pizza fantástica de uma pizzaria que eu queria experimentar a muito tempo, além de deliciosa, ela chegou em 13 minutos na minha casa. Escrevi vitória ao lado do telefone da pizzaria!

A grande vitória das pequenas vitórias: sentei e escrevi esse texto!

A vida é feita de pequenos momentos, pequenas vitórias diárias e basta a nós ver a alegria nas pequenas coisas! 

Leia Mais

EM QUEM VOCÊ SE ESPELHA E COMO ISSO INFLUÊNCIA SUA FELICIDADE

Em quem você se espelha? Como as redes sociais tem nos influenciado, criado novos modelos e nos deixando infelizes. Consigo encher duas mãos com a quantidade de pessoas que eu conheço que se dizem infelizes. Nenhuma delas possui depressão ou outro tipo de doença ou transtorno psiquiátrico, mas por algum motivo elas se consideram infelizes. Convivendo com elas percebo que a maioria se espelha em ideias de vida que não condizem com a suas realidades. Queria poder perguntar para elas “em quem você se espelha?”

em quem você se espelha o espelho quebradoO Spiegel.01 é um espelho que parece ter sido preso na parede com um prego. Autor: Lennart Van Uffelen

Leia Mais

BLOQUEIO CRIATIVO E O #BEDA

Tinha tudo planejado, um banco de ideias recheado, cronograma de postagem e fotos preparadas. Eu me senti segura o suficiente para me desafiar, me comprometi comigo mesma e com esse blog para o #BEDA. A ideia era postar aqui no blog todos os dias de abril, mas não deu, tive um bloqueio criativo.

Bloqueio criativo, eu realmente eu não te esperava!

Bloqueio criativo sem ideias sem saco sofrimento não consigo escrever

Eu falhei por olhar meus rascunhos ou para as ideias rabiscadas em um papel e não sentir a menor vontade de escrever sobre elas. Como se as ideias se tornassem insossas assim que começassem a tomar forma. Nenhum assunto se mostrou interessante para me fazer me exausta sentar o bumbum na cadeira e escrever, nenhuma foto me parecia bonita o suficiente.

Parece que tenho um milhão de textos agarrados na garganta, todos misturados em uma bola gigante de palavras que me sufocam e me impedem de escrever. Também me impede de encontrar um tema que faça a escrita ser agradável, porque se escrever se tornar sofrido eu coloco esse blog hiato e espero até o dia que o bolo de palavras saia da garganta, ganhe forma nas ideias e escorregue pelos dedos. Acredito que esse seja o bloqueio criativo que todos falam.

Você escolhe o tema, pensa, pensa, pensa começa escrever, fica horrível, não se faz entender, parece que o tema não é relevante, apaga o texto, excluí a foto, desliga o computador e vai fazer outra coisa. Como persistir em algo que não está sendo agradável te fazendo feliz? Como faz quando se tem ideias, mas todas parecem péssimas e falta ânimo para colocar a mão na massa?

Em todo rascunho que comecei parecia impossível escrever 300 palavras, por isso fui largando os posts pelo caminho. Os conteúdos publicados este mês foram todos feitos com amor e alegria, nos dias de bloqueio criativo foram os dias que falhei no #BEDA.

Escrevi esse texto se uma vez só e publiquei rapidamente antes de achar muito ruim, desistir de publicar e apagar.

*Não consegui verificar a fonte original da imagem acima e também não consigo visualizar a assinatura.
Se você conhecer a autora me conta aqui nos comentários para que eu dê os créditos

Leia Mais