COMO ENTENDER O SISTEMA DA MODA

Como entender o sistema da moda? Nós usamos roupas todos os dias. Temos roupas para dormir, para trabalhar, para sair, para festa, para um encontro romântico, para praticar esporte e praticamente para todas as ocasiões da vida. Cada evento exige um dress code, uma norma latente do que é correto ou não, essa norma vai muito do que sentimos. É aquele incomodo de se sentir inadequado à situação ou ambiente que se encontra, sabe?

Nossa roupa é nossa segunda pele, nosso corpo está em contato com ela por quase nossa vida toda. É através dela que nos apresentamos ao mundo. Ela faz parte da nossa identidade e nossa identidade também faz parte dela, pois participa de sua escolha.

Leia também: Por que usamos roupas?

No entanto, ainda que nossa identidade seja única, estamos inseridos em um contexto social e cultural que rege e orienta metafisicamente nossas escolhas para se vestir.

É nesse fenômeno metafísico que se manifesta nas roupas que se encontra o sistema da moda.

Por que a moda vai e volta? Por que estamos sempre buscando nos inserir em determinado contexto e ao mesmo tempo nos diferenciar?

Sistema da moda ciclo da moda hype fashion infográfico

 

Essas questões são explicadas pela própria condição humana! As ciências humanas nos permitem entender como o sistema da moda foi gerado a partir das necessidades e essência dos seres humanos.

Existem teorias antropológicas que defender o uso da indumentária estimulado por uma necessidade de proteção promovida pelo ambiente. E é muito comum destacar o uso de peles animais contra o frio como um exemplo dessa necessidade. Outras teorias afirmam que na verdade o uso de ornamentos precedeu a necessidade de proteção.

Por que, então, o ser humano passou a utilizar ornamentos como garras e dentes de animais sobre o corpo?

A filosofia explica que imitar é congênito. E é possível supor que vendo a força e ameaça dos animais selvagens o ser humano quisesse imitá-lo.

A cópia uma das bases do sistema da moda. É através da imitação que uma peça atinge o caráter de moda. No entanto, ao alcançar seu ápice, se tornando homogênea essa moda morre. Pois, como diria Walter Benjamin “a moda é a eterna recorrência do novo”.

E é exatamente o novo, a novidade que se fundi a imitação para formar o sistema da moda.

Livros para entender melhor o sistema da moda

 Moda. Uma Filosofia

A moda permeia diversos níveis da nossa existência, mas foi pouco estudada pelos filósofos. Até agora. Com uma prosa ágil e irônica, Lars Svendsen reúne referências que vão da música pop e da arte contemporânea a pensadores como Kant, Adorno, Barthes, Benjamin e Giddens. Concentrando-se no vestuário, faz um apanhado histórico e analisa a relação da moda com o corpo, a linguagem, a arte e o consumo.

O Império do Efêmero

Elaborando uma verdadeira arqueologia do frívolo e do efêmero, uma reflexão que ultrapassa a lógica do diferenciamento social, o filósofo francês Gilles Lipovetsky confere à moda um caráter libertário, faz dela signo das transformações que anunciaram o surgimento das sociedades democráticas. Lipovetsky acaba por nos mostrar que, “no filme acelerado da História moderna, dentre todos os roteiros, o da Moda é o menos pior”.

Inéditos. Imagem e Moda – Volume 3

Barthes apresenta a moda como uma linguagem. Em o Sistema da Moda, o autor faz uma ma análise semântica do vestuário a partir de artigos da imprensa, examinando a estrutura e o significado do discurso sobre a moda. Em “Inéditos. Imagem e Moda – Volume 3” ele apresenta reflexões sobre a moda sem se prender a semântica.

 

Salvar

Você também vai gostar!